19 de novembro de 2018

Poemas: Carlos Drummond de Andrade

Poemas de
Carlos Drummond de Andrade
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Em 2003, realizei uma atividade com meus alunos da Educação Infantil sobre Carlos Drummond de Andrade. Selecionei alguns poemas, que disponibilizo nesta postagem, para ler com as crianças.
Utilizei livros da Sala de Leitura, e infelizmente não tenho as referências bibliográficas pela ABNT. Caso seja necessário, sugiro pesquisar nos livros do autor.

♥♥♥

A Palavra Mágica
~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Certa palavra dorme na sombra
de um livro raro.
Como desencantá-la?
É a senha da vida
a senha do mundo.
Vou procurá-la.

Vou procurá-la a vida inteira
no mundo todo.
Se tarda o encontro, se não a encontro,
não desanimo,
procure sempre.

Procuro sempre, e minha procura
ficará sendo
minha palavra.

♥♥♥

Lagoa
~~~~~~~~~
Eu não vi o mar.
Não sei se o mar é bonito,
não sei se ele é bravo.
O mar não me importa.

Eu vi a lagoa.
A lagoa, sim.
A lagoa é grande
e calma também.

Na chuva de cores
da tarde que explode
a lagoa brilha
a lagoa se pinta
de todas as cores.
Eu não vi o mar.
Eu vi a lagoa...

♥♥♥

Canção Amiga
~~~~~~~~~~~~~~~~
Eu preparo uma canção
em que minha mãe se reconheça,
todas as mães se reconheçam,
e que fale como dois olhos.

Caminho por uma rua
que passa em muitos países.
Se não me vêem, eu vejo
e saúdo velhos amigos.

Eu distribuo um segredo
como quem ama ou sorri.
No jeito mais natural
dois carinhos se procuram.

Minha vida, nossas vidas
formam um só diamante.
Aprendi novas palavras
e tornei outras mais belas.

Eu preparo uma canção
que faça acordar os homens
e adormecer as crianças.

♥♥♥

Infância
~~~~~~~~~~
Meu pai montava a cavalo, ia para o campo.
Minha mãe ficava sentada cosendo.
Meu irmão pequeno dormia.
Eu sozinho menino entre mangueiras
lia a história de Robinson Crusoé,
comprida história que não acaba mais.

No meio-dia branco de luz uma voz que aprendeu
a ninar nos longes da senzala – e nunca se esqueceu
chamava para o café.
Café preto que nem a preta velha
café gostoso
café bom.

Minha mãe ficava sentada cosendo
olhando para mim:
- Psiu... Não acorde o menino.
Para o berço onde pousou um mosquito.
E dava um suspiro... que fundo!

Lá longe meu pai campeava
no mato sem fim da fazenda.

E eu não sabia que minha história
era mais bonita que a de Robinson Crusoé.

♥♥♥
Brincar na rua
~~~~~~~~~~~~~~~
Tarde?
O dia dura menos que um dia.
O corpo ainda não parou de brincar
e já estão chamando da janela:
É tarde.

Ouço sempre este som: é tarde, tarde.
A noite chega de manhã?
Só existe a noite e seu sereno?

O mundo não é mais, depois das cinco?
É tarde.
A sombra me proíbe.
Amanhã, mesma coisa.
Sempre tarde antes de ser tarde.

♥♥♥

O Doce
~~~~~~~~~~
A boca aberta para o doce
já prelibando a gostosura,
e o doce cai no chão de areia, droga!

Olhar em redor. Os outros viram.
Logo aquele doce cobiçado
a semana inteira, e pago do seu bolso!
Irá deixá-lo ali, só porque os outros
estão presentes, vigilantes?

A mão se inclina, pega o doce, limpa-o
de toda areia e mácula do chão.
"Se fosse em casa eu não pegava não,
mas aqui no colégio, que faz mal?"

♥♥♥

Organizado por Ivanise Meyer®
Postagem de 28/07/2010

Carlos Drummond de Andrade

Carlos Drummond de Andrade
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Carlos Drummond de Andrade (Itabira, 31 de outubro de 1902 — Rio de Janeiro, 17 de agosto de 1987) foi um poeta, contista e cronista brasileiro.

Nascido e criado na cidade mineira de Itabira, Carlos Drummond de Andrade levaria por toda a sua vida, como um de seus mais recorrentes temas, a saudade da infância. Precisou deixar para trás sua cidade natal ao partir para estudar em Friburgo e Belo Horizonte.

Formou-se em Farmácia, atendendo a insistência da família em graduar-se. Trabalha em Belo Horizonte como redator em jornais locais até mudar-se para o Rio de Janeiro, em 1934, para atuar como chefe de gabinete de Gustavo Capanema, então nomeado novo Ministro da Educação e Saúde Pública.

Em 1930, seu livro "Alguma Poesia" foi o marco da segunda fase do Modernismo brasileiro. O autor demonstrava grande amadurecimento e reafirmava sua distância dos tradicionalistas com o uso da linguagem coloquial, que já começava a ser aceita pelos leitores.

Drummond também falava sobre temas como o desajustamento do indivíduo, ou as preocupações sócio-políticas da época, como em “A Rosa do Povo” (1945). Apesar de serem temas fortes, ele conseguia encontrar leveza para manter sua escrita com humor e uma sóbria ironia.

Produzindo até o fim da vida, Carlos Drummond de Andrade deixou uma vasta obra. Quando faleceu, em agosto de 1987, já havia destacado seu nome na literatura mundial. Com seus mais de 80 anos, considerava-se um "sobrevivente", como destaca no poema "Declaração de juízo".


Indico:

Coleção Verso na prosa/Prosa no verso é direcionada para o público infantil.

♥♥♥

Organizado por Ivanise Meyer®
Postagem de 28/07/2010

25 de julho de 2018

Dia Nacional do Escritor

Dia Nacional do Escritor
25 de julho
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
O dia do escritor foi criado a partir da década de 60, através de João Peregrino Júnior e Jorge Amado, quando realizaram o I Festival do Escritor Brasileiro, organizado pela União Brasileira de Escritores, a que os dois eram presidente e vice-presidente, respectivamente.

♥♥♥

Escritores presentes aqui no Baú das Histórias e Poemas:

Alexandre de Castro Gomes / Alvaro Ottoni / Ana Maria Machado / André Neves / Andrea Viviana Taubman / Anna Claudia Ramos / Bia Bedran / Bartolomeu Campos de Queirós / Bia Hetzel / Carlos Drummond de Andrade / Cecília Meireles / Celso Sisto / Cléo Busatto / Cris Alhadeff / Cristino Wapichana / Daniel Munduruku / Eliardo França / Elias José / Érico Veríssimo / Eva Furnari / Fábio Monteiro / Fátima Miguez / Fê /  Fernanda Lopes de Almeida / Graça Lima / Guto Lins / Henriqueta Lisboa / Ilan Brenman / Ivan Zigg / Joel Rufino dos Santos / José Paulo Paes / Julio Emílio Braz / Lenice Gomes / Leo Cunha / Lygia Bojunga / Luiz Antônio Aguiar / Manuel Bandeira / Marcelo Xavier / Marcelo Pimentel / Machado de Assis / Manoel de Barros / Maria Mazzetti / Mary França / Mariana Massarani / Marina Colasanti / Marilia Pirillo / Marta Lagarta / Monteiro Lobato / Ninfa Parreiras / Patricia Auerbach / Pedro Bandeira / Ricardo Azevedo / Roger Mello / Rogério Andrade Barbosa / Roseana Murray / Rosinha / Rui de Oliveria / Ruth Rocha / Sérgio Capparelli / Silvana Rando / Sonia Rosa / Sylvia Orthof / Tatiana Belinky / Vinícius de Moraes / Zé Zuca / Ziraldo


23 de julho de 2018

Estante: Poesia


Poesia
~~~~~~~~
Há vários autores de poesias para crianças.
Deixarei aqui registrados alguns dos poetas que tenho em minha Estante...

CANTIGAMENTE
Leo Cunha
Ilustrações: Marilda Castanha e Nelson Cruz
Editora Nova Fronteira 

Para ver mais livros de poesias do Leo Cunha, clique aqui.


EXERCÍCIOS DE SER CRIANÇA
Manoel de Barros
Editora Salamandra


JARDINS
Roseana Murray / Ilustrações: Roger Mello

Para ver outros livros de poesia de Roseana Murray, clique aqui.


GIRASSÓIS
Lalau e Laurabeatriz
Companhia das Letrinhas


O MENINO AZUL
Cecília Meireles
Editora Global


ANTOLOGIA ILUSTRADA DA POESIA BRASILEIRA
Adriana Calcanhoto
Edições de Janeiro



Estante: Monstros


Monstros
~~~~~~~~~~~
Gosto muito desse tema. As crianças também!
Lidar com o monstro da ficção ajuda a lidar com vários sentimentos na vida real.
Estes são alguns dos meus monstrinhos...

FOME DE MONSTRO
Ed Vere
Companhia das Letrinhas


ONDE VIVEM OS MONSTROS
Maurice Sendak
Editora Cosac Naify


COMO APAVORAR OS MONSTROS?
Catherine Leblanc / Roland Garrigue
Editora V & R


BUMBURLEI
Tatiana Belinky
Editora Formato


O MONSTRO DAS CORES
Anna Llenas
Editora Aletria


Estante: Pai / Paternidade


Pai / Paternidade
~~~~~~~~~~~~~~~~
 Livros com histórias que trazem a temática da paternidade:

COM JEITO DE PAI
Nye Ribeiro / Ilustrações: Rosinha Campos
Editora do Brasil


EU AMO MEU PAPAI
Editora Ciranda Cultural


PAPAI!
Philippe Corentin
Editora Cosac Naify


PAPAI É QUASE UM HERÓI!
Aline Abreu
Editora DCL


Estante: Tatiana Belinky



Tatiana Belinky
~~~~~~~~~~~~~~~
Tatiana Belinky (Petrogrado18 de março de 1919 — São Paulo15 de junho de 2013) foi uma escritora infanto-juvenil contemporânea. É autora, tradutora e adaptadora de mais de 250 livros voltados para este público. Nascida na Rússia, chegou ao Brasil com dez anos de idade. Recebeu a cidadania brasileira e foi radicada em São Paulo há mais de oitenta anos.
Fonte: Wikipédia


Quem é apaixonado pela literatura para crianças, já leu algum dos livros de Tatiana Belinky.
Os livros dela que estão na minha estante são estes...


DEZ SACIZINHOS
Tatiana Belinky / Ilustrações: Roberto Weigand
Editora Paulinas

Aqui está uma brincadeira matemática de subtrair sacis. Entre versos e estrofes, dez graciosos sacizinhos vão desaparecendo, um a um, em diversos acidentes, como ingestão de comida estragada, jejum exagerado, quebra de regras... Prêmios: Altamente Recomendável FNLIJ - Categoria Criança (1998) FNLIJ - Melhor ilustração (1998) Prêmio Jabuti (1999)


BUMBURLEI
Tatiana Belinky - Editora Formato

É preciso ler o texto que, em versos rimados, narra a história de uma menina chamada Mariquinha, que gosta de desenhar e vai explicando para a mãe cada figura que desenha. Até que, em um certo momento, ela se assusta com a própria criação, pois se deu conta do que havia traçado... E não é que ela sentiu medo?


DIVERSIDADE
Tatiana Belinky / Ilustrações: Giles Eduar
Editora FTD


Estante: Editora Cosac Naify


Cosac Naify
~~~~~~~~~~~~

Cosac Naify foi uma editora brasileira fundada por Charles Cosac e Michael Naify em 1996 em São Paulo, famosa pela qualidade impecável, publicando livros de arte, arquitetura, cinema, dança, design, fotografia, infantojuvenil, literatura, moda, música, antropologia, sociologia, e teatro.

Em 30 de novembro de 2015, Charles Cosac anuncia o encerramento das atividades da editora. Dentre as causas do fechamento da Cosac Naify, Charles elencou a crise econômica brasileira, a alta do dólar, o aumento da inflação e a burocrática legislação vigente no país. 

Amazon e a Cosac Naify fecharam um acordo para que todos os livros disponíveis no estoque da editora, bem como possíveis reimpressões do catálogo e lançamentos anteriormente previsto até 2017, sejam disponibilizados exclusivamente na Amazon.
Fonte do texto: Wikipédia

♥♥♥

Os livros da Cosac Naify são primorosos. O projeto gráfico é impecável.
Lamentei muito o fechamento das atividades da editora. Sempre que ia ao Salão do Livro e à Bienal aqui no Rio de Janeiro, procurava o estande para trazer algum exemplar para casa.
Consegui adquirir alguns livros através da internet.
Eis aqui alguns exemplares que me orgulho de ter em minha Estante...

ALICE
Lewis Carroll
Ilustrações: Luiz Zerbini (Alice no País das Maravilhas)
Ilustrações: Rosângela Rennó (Alice através do espelho)

"Além de revisitar a conhecida história da menina Alice num País Maravilhoso, onde vive inacreditáveis aventuras acompanhada de seres que agem dentro da lógica do nonsense, o leitor terá a oportunidade de continuar a jornada por um novo mundo, através do espelho. A Caixa Alice + Alice vem com dois livros: o inédito Alice através do espelho, com ilustrações da artista Rosângela Rennó, e a edição especial antes esgotada de Alice no País das Maravilhas ilustrada por Luiz Zerbini, publicada pela Cosac Naify em 2009, desta vez, com uma faca especial na capa. Se na primeira história Zerbini usou um baralho para criar as ilustrações que são um “deslumbramento para os olhos”, conforme o texto de quarta capa de Ana Maria Machado, em Alice através do espelho a artista visual mineira Rosângela Rennó se apropriou de frames de filmes e de algumas das célebres ilustrações de John Tenniel para recriá-los com um efeito de distorção produzido pela interferência de uma lente ao refotografar as imagens. O resultado é uma perspectiva “através da lente”, uma multiplicidade de Alices, como bem demonstrado na arte da capa, que traz uma resina sobre o rosto da menina, em foto tirada pelo próprio Lewis Carroll. A caixa, quando aberta, pode servir de expositor para os dois volumes e tem o interior em papel metalizado, imitando um espelho."




TER UM PATINHO É ÚTIL
Isol - Editora Cosac Naify

"Um menino encontra um patinho e o agarra. Se balança nele, coloca-o no nariz, usa como chapéu, como apito, como cachimbo e até como cotonete para enxugar as orelhas depois do banho... Quando se pensa ter chegado ao final da leitura, ao virar a última página, vem a gostosa surpresa: um outro livro – ou o mesmo livro, sob outra perspectiva. Em Ter um menino é útil, Isol nos apresenta – literalmente – o outro lado da história. A partir de um jogo visual simples e muito divertido, a autora utiliza as mesmas ilustrações para mostrar que qualquer situação pode ter diferentes pontos de vista."


O LIVRO COM UM BURACO
Herve Tullet - Editora Cosac Naify

"O livro com um buraco tem, literalmente, um buraco no meio de suas páginas. Cada dupla traz uma ilustração, que, junto com um pequeno texto orientador, propõe alguma interação com o buraco. Assim, mais do que desenhar, pintar ou recortar, a proposta deste livro é envolver completamente o leitor na brincadeira – ou, melhor dizendo, no buraco: vale colocar o rosto, enfiar o braço, fazer dele uma cesta de basquete e tudo mais que a inventividade permitir."


ESOPO: FÁBULAS COMPLETAS
Ilustrações: Eduardo Berliner

"São 383 fábulas atribuídas a Esopo traduzidas diretamente do grego por Maria Celeste C. Dezzotti, professora da Unesp. Outra novidade proposta pela tradutora é a disposição da moral, que vem separada da narrativa para deixar claro o seu caráter de argumentação – e não de conduta ou comportamento, como se convencionou atribuir às fábulas. 
A editora convidou o jovem artista Eduardo Berliner para também renovar a interpretação pictórica das fábulas, dispostas nesta edição em ordem alfabética. Ao incorporar a ideia de que os textos trazem animais metaforizando homens, Berliner misturou partes dos corpos de animais e de humanos, em situações tão irônicas e perturbadoras quanto as narradas no texto. 
Em nanquim preto, as inteligentes ilustrações dividem espaço com as fábulas impressas em vermelho, dispostas cada uma em uma página, como se a proposta fosse oferecer ao leitor um texto por dia. Esse conceito é reforçado pelo tamanho do livro, de proporções pequenas e confortáveis para a leitura."

EU SEI UM MONTÃO DE COISAS
Ann e Paul Rand - Editora Cosac Naify

"Eu sei um montão de coisas foi o livro de estreia de Rand no universo infantil. Ele, que até então se dedicava apenas ao design de comunicação, encontrou um modo atraente e muito original de se comunicar também com as crianças. As ilustrações acompanham os versos leves e divertidos de Ann Rand. O artista abusa do colorido e preenche todo o espaço das páginas com figuras arredondadas – do espelho ao cachorro de bolinhas, passando por um bolo coberto de cerejas –, movimento circular que se reflete também na narrativa, num constante exercício de descoberta do mundo e de si mesmo. A história se torna, então, um percurso pelo saber e o não saber – ao contar tudo que sabe, o narrador descobre que ainda há muito a conhecer."


BICHOS QUE EXISTEM & BICHOS QUE NÃO EXISTEM
Arthur Nestrovski / Ilustrações: Maria Eugênia
Editora Cosac Naify


ONDE VIVEM OS MONSTROS
Maurice Sendak
Editora Cosac Naify

"Onde vivem os monstros venceu os principais prêmios de literatura infantil, foi traduzido para mais de vinte idiomas e aclamado pela crítica. Na história escrita em 1963, o garoto Max, vestido com sua fantasia de lobo, faz tamanha malcriação que é mandado para o quarto sem jantar. Lá, ele se transporta para uma floresta, embarca em um miniveleiro até desembarcar na ilha onde vivem os monstros. Max, então, fica livre para mandar e desmandar, longe de regras ou restrições. Mas, quando a saudade de casa começa a apertar o peito, Max fica em dúvida sobre suas escolhas. Uma bela obra sobre a infância e a eterna luta entre a liberdade almejada pelas crianças e a autoridade dos pais, fundamental na biblioteca básica de todo leitor."


22 de julho de 2018

Estante: Alcides Goulart


Alcides Goulart
~~~~~~~~~~~~~~~~

Alcides Goulart conversando com o público sobre seus livros no
20.º Salão FNLIJ do Livro para Crianças e Jovens.

30/06/2018


PERIGO NA FLORESTA
Alcides Goulart / Ilustrações: Maurício Veneza
Editora Jovem

Dedicatória do Alcides Goulart.


HISTÓRIA ENCANTADA
Alcides Goulart / Ilustrações: Bruna Assis Brasil
Editora Jovem


A FESTA DO QUAQUÁ
Alcides Goulart / Ilustrações: Martina Schreiner
Editora Jovem


EU QUERO É BRINCAR
Alcides Goulart / Ilustrações: Hudson Silva
Editora Jovem


CADÊ?
Alcides Goulart / Ilustrações: Flávio Vargas
Editora Jovem


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...